Quinze pessoas morrem em bombardeio na Síria

Pelo menos 15 civis morreram neste sábado (8) em um bombardeio perto da cidade de Al Raqqa, na Síria, conhecida como "a capital do Estado Islâmico". Os aviões responsáveis pelo bombardeio pertencem à coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos, informou o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

Entre os mortos no bombardeio, realizado na cidade de Hunaida, há quatro crianças. Cerca de 220 civis foram mortos em bombardeios desde o dia 1º de março, entre eles 36 menores de idade, pelos bombardeios realizados em Al Raqqa, incluindo o de hoje.

A província de Al Raqqa, no nordeste da Síria, é o principal santuário do grupo terrorista Estado Islâmico (EI) e alvo de uma ofensiva das Forças da Síria Democrática (FSD), milícias lideradas pelos curdos, que contam com apoio da coalizão internacional.

Ataque
Na sexta-feira (7), pelo menos nove civis, entre eles quatro crianças, morreram ne outros sete ficaram feridos no bombardeio americano contra uma base militar síria, informou a agência oficial "Sana". As vítimas civis estavam nos povoados de Al Hamrat, Al Shayrat e Al Manzul, situados nos arredores da base área de Shayrat, atacada pelos Estados Unidos. A informação é da agência de notícias "EFE".

A embaixadora dos EUA na ONU, Nikki Haley, informou que o governo americano está pronto para intervir mais uma vez no país. “Os EUA tomaram uma decisão muito calculada na noite de quinta-feira. Estamos dispostos a fazer mais, mas esperamos que não seja necessário”, ressaltou Nikki no Conselho de Segurança.

De acordo com o governo americano, o ataque foi uma resposta ao ataque com armas químicas que provocou a morte de cerca de 100 pessoas na terça-feira (4). 

Comentários