Caminhada e serviços iniciaram “Maio Amarelo”, em Ilhéus

“Muito mais que uma caminhada e prestação de serviços à população, um ato de cidadania neste 1º de maio”. É o que afirmou o superintendente de Transporte e Trânsito (Sutran), Rogerio Buralho, órgão vinculado à secretaria de Infraestrutura, Transporte e Trânsito (Seintra), ao final da ação da campanha “Maio Amarelo”, em Ilhéus, organizada pela Coordenação de Educação para o Trânsito do município.

A conscientização objetivando a diminuição do número de mortos e feridos no trânsito das cidades começou logo cedo, a partir das 8 horas de ontem, 1º, com a concentração de pedestres, ciclistas e cadeirantes, na Rua Araújo Pinho, no centro da cidade, que realizaram um descontraído alongamento. De lá, a caminhada percorreu ruas da região central de Ilhéus até chegar à Praça Dom Eduardo, em frente à Catedral de São Sebastião. Durante a caminhada, faixas alertavam sobre os números da violência e a importância do trânsito consciente na cidade e nas estradas brasileiras. Além disso, fogos de artifício chamavam a atenção das pessoas para que participassem do ato.

Já na Praça Dom Eduardo, uma série de atividades reforçou este sentimento de mobilização, através da educação no trânsito. Tudo isso fruto da parceria articulada entre a Prefeitura de Ilhéus, através da secretaria de Indústria e Comércio (Sedic), representada no evento pelo secretário Paulo Sérgio dos Santos, e o Serviço Social da Indústria (Sesi). A entidade, ligada ao Sistema FIEB, ofereceu serviços avaliação física, acuidade visual, atividade física com treino funcional para adultos e crianças, orientação nutricional de saúde bucal, sessões de massoterapia e apresentação de robótica feita pelos alunos do Sesi. O coordenador do órgão, Alexandre Régis da Cunha, afirmou que “foram 22 serviços e 50 voluntários envolvidos em ações de saúde, educação, lazer e recreação com foco na comunidade e no trabalhador, sempre com ludicidade, marca característica do Sesi para este tipo de integração”.

No total, centenas de pessoas participaram de uma manhã diferente, que se transformou em mobilização popular em 1º de maio, data em que se comemora o Dia Mundial do Trabalho. A principal atração foi a Unidade Móvel de Inclusão Digital, uma espécie de “caminhão digital”, que apresentou vídeos educativos sobre trânsito seguro com abordagens diferenciadas para adultos e crianças.

A ação conjunta contou ainda com a participação e apoio do Departamento Estadual de Trânsito (Detran/BA), das 68ª, 69ª e 70ª companhias independentes de Polícia Militar (CIPM), Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), Serviço de Referência dos Direitos da Mulher (SER Mulher) da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), sindicatos, comerciantes, associações e autoescolas.

Mais sobre o “Maio Amarelo” – As atividades iniciaram o movimento “Maio Amarelo”, mobilização nacional empreendida pelo Poder Público e sociedade civil organizada, que promove a segurança viária e o amplo debate sobre as responsabilidades e comportamento do cidadão, enquanto pedestre, motorista ou ciclista. Em Ilhéus, as atividades seguem um calendário de ações que vão até o dia 28 de maio.

A campanha prevê ainda ações educativas, com panfletagem, conscientização de estudantes, pedestres e motoristas e atividades práticas, além de nova caminhada e passeios ciclísticos. Este ano, os temas abordados pelo “Maio Amarelo” são: acessibilidade e o cumprimento do uso das vagas preferenciais; mulher condutora; segurança para o ciclista; respeito à faixa de pedestre; e a combinação explosiva entre álcool e direção.

Nossa triste realidade – No Brasil, o trabalho chama a atenção da sociedade sobre os altos índices de mortes, feridos e sequelados permanentes no trânsito do país, visto que passou a ser encarado como um grave caso de saúde pública. Para tanto, o processo de educação e conscientização visa reduzir essa terrível estatística.

De acordo com o Relatório Global de Segurança no Trânsito 2013, publicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a situação pode se agravar em países como o nosso, em que há crescente aumento da frota, falta de planejamento e baixo investimento na segurança das vias públicas. 

Comentários