Gota d'água: torcida do Atlético-PR grita nome de dispensados e pede reforços

Os torcedores do Atlético-PR perderam a paciência de vez após os 3 a 0 para o San Lorenzo na noite desta quarta-feira, na Arena da Baixada, pela quinta rodada do Grupo 4 da Libertadores. Vale lembrar que o Furacão já tinha levado 3 a 0 do Coritiba em casa pela decisão estadual.

Antes mesmo do terceiro gol, a torcida já gritava o nome dos jogadores dispensados pela diretoria nos últimos meses: o lateral-direito Léo, o meia Vinícius e os atacantes André Lima e Walter.

Além disso, os torcedores xingaram o atacante Grafite, o técnico Paulo Autuori e o presidente Mario Celso Petraglia, gritaram "time sem vergonha" e pediram reforços.

- Problema de torcida é você ganhar. Isso é natural, é oportunismo. Não tenho absolutamente nada a falar disso. As coisas começam e acabam da mesma maneira. Em sete dias, se transforma. Isso é absurdo, mas é situação normal de torcida. Não vejo dificuldade de ver isso porque é o que se passa no futebol - comentou o treinador em entrevista coletiva.

- A gente sabe que o torcedor é fanático e tem que respeitar. Hoje em dia, é difícil ver um jogo. Mas a gente está unido. É um grupo, é um time, e somos todos responsáveis seja na vitória quanto na derrota. Temos que estar unidos, porque temos chances de passar às oitavas. Agora, temos que pensar no jogo de domingo - completou Lucho González após o jogo.

O próximo jogo do Atlético-PR na Libertadores será contra a Universidad Católica, no dia 17, uma quarta, às 21h45 (horário de Brasília), no Estádio San Carlos de Apoquindo, na região metropolitana de Santiago.

Antes, o Furacão decide o Campeonato Paranaense contra o rival Coritiba. A partida está marcada para 16h de domingo, no Couto Pereira. Ele precisa vencer por três ou mais gols após a derrota por 3 a 0 em casa.

Comentários