Ilhéus reduz mosquito da dengue em regiões consideradas críticas

Na próxima terça-feira (30), a equipe de Controle de Endemias, da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), vai promover ações de combate e controle do mosquito Aedes Aegypti na localidade interiorana de Maria Jape, em Ilhéus. A iniciativa faz parte de uma ação da Sesau, priorizando áreas que apresentam índices de infestação mais altos, tanto na sede quanto no interior do município. De acordo com o diretor da Vigilância e Saúde da Sesau, Gleidson Santana Souza, Maria Jape não recebe a visita da equipe de combate ao mosquito há oito anos.

O resultado deste trabalho planejado que envolve ações técnicas de bloqueio focal e perifocal (medidas complementares ao controle) e costal (com atuação em um raio de 150 metros o foco), já apresenta resultados significativos, tanto no interior quanto nos bairros periféricos de Ilhéus. Gleidson cita três exemplos. No alto do Carvalho (zona norte), a Sesau chegou a registrar no início do ano um índice de infestação de 44 por cento. Hoje está controlado em 3,7 por cento. No alto do Coqueiro, no Malhado, os agentes reduziram de 23,5 para 10 por cento. E, no alto da Gamboa, na avenida Itabuna, a redução do índice foi de 24 para 3,3 por cento.

Na semana passada, uma ação na localidade interiorana do Couto foi iniciada pelos técnicos da saúde. Desde 2012 uma ação preventiva deste porte não era realizada pela Prefeitura. “Fizemos a coleta de 148 amostras e 63 delas deram positivas, ou seja, com a presença de larvas do mosquito”, revela Gleidson. Um outro trabalho executado pela Prefeitura é voltado para atividades esclarecedoras sobre a dengue e o mosquito transmissor. Equipe de educação realiza palestras em escolas e associações, além de mutirões nos bairros com maior infestação.

Comentários