Jequié: após crítica ao tamanho das mochilas, secretário de educação desabafa

Após o tamanho de mochilas escolares distribuídas a alunos do ensino municipal pela prefeitura de Jequié, no sudoeste da Bahia, virar piada na internet, a gestão municipal explicou o ocorrido. Tanto os estudantes dos últimos anos do ensino fundamental II como os das creches da cidade, com idades até seis anos, receberam mochilas padronizadas com o mesmo tamanho. Para os alunos menores, a mochila é grande demais, e eles chegam a caber dentro do material.

A prefeitura informou por meio da Secretaria de Educação de Jequié que as mochilas distribuídas foram licitadas antes do término das matrículas e, por isso, tiveram que ser padronizadas. 

Ainda segundo a secretaria, foi tomada a atitude de também distribuir as mochilas para os alunos das creches para evitar qualquer tipo de discriminação, principalmente com as crianças menores, "prevalecendo assim o cuidado e a satisfação em ver a alegria das crianças e da família ao receberem as mochilas".

A Secretaria de Educação afirma também que entende que "deve prevalecer o bom senso de todos os envolvidos na utilização dos materiais distribuídos, cabendo principalmente aos pais ou responsáveis utilizarem as mochilas para transporte do material das crianças, lembrando ainda que o Ministério da Saúde recomenda que o peso transportado pelo aluno não ultrapasse em mais de 10% do peso da criança".

Na rede social, o secretário de Educação, Roberto Gondim, fez um desabado.  “O que chama atenção é que embora digam que é grande para as crianças, ainda seria pequena se usada para abrigar os relatórios contendo os péssimos índices herdados na Educação local, que envolvem baixa matrícula, baixo IDEB, baixo IOEB e mais sério ainda, a baixa proficiência dos alunos da Rede Municipal de Ensino”, diz trecho do relato.

E continua: “a tarefa de recuperar estes índices começou com o aumento significativo de matrículas na rede, até porque lugar de criança é na Escola, mas precisará na verdade de uma força tarefa que envolva toda a sociedade de Jequié para melhorar os péssimos índices deixados pelas gestões anteriores”.

O secretário lembra também que o “Ministério da Saúde determina que uma criança não pode carregar mais que 10% do seu peso. Sendo assim, parece que não tem como entregar a uma criança de Creche uma mochila com tamanho ideal. Ou será que estas pessoas querem afirmar que os pais de hoje não estão servindo nem pra carregar a mochila de seus filhos? Aos críticos que estão apurando, prefiro como cidadão convidá-los para atuar em defesa de uma melhor educação para Jequié”.

Veja o relato na íntegra:

*Onde se vê a árvore não se vê a floresta.*

Neste início de semana o que mais circulou nas redes sociais foi um meme ironizando o tamanho da mochila distribuída pela Secretaria de Educação de Jequié, como se esse fato fosse o mais importante para a Educação do Município.

O que chama atenção é que embora digam que é grande para as crianças, ainda seria pequena se usada para abrigar os relatórios contendo os péssimos índices herdados na Educação local, que envolvem baixa matrícula, baixo IDEB, baixo IOEB e mais sério ainda, a baixa proficiência dos alunos da Rede Municipal de Ensino.

A tarefa de recuperar estes índices começou com o aumento significativo de matrículas na rede, até porque lugar de criança é na Escola, mas precisará na verdade de uma força tarefa que envolva toda a sociedade de Jequié para melhorar os péssimos índices deixados pelas gestões anteriores.

Só no IOEB(Índice de Oportunidade da Educação Brasileira) , com nota 3,2, Jequié amarga o 4978° lugar entre os 5.500 municípios do Brasil. Sem contar o IDEB de 3,2 nas séries iniciais e 2,9 nas séries finais. Triste ter que afirmar que a proficiência do 9° ano em Matemática dos alunos de Jequié é de apenas 5%.

Voltando ao tamanho da sacola, se é que alguns acham isso o mais importante, segundo o Ministério da Saúde uma criança não pode carregar mais que 10% do seu peso. Sendo assim, parece que não tem como entregar a uma criança de Creche uma mochila com tamanho ideal. Ou será que estas pessoas querem afirmar que os pais de hoje não estão servindo nem pra carregar a mochila de seus filhos?

Aos críticos que estão apurando, prefiro como cidadão convidá-los para atuar em defesa de uma melhor educação para Jequié. Para terminar, prefiro parafrasear os Novos Baianos que já diziam em "Mistério do Planeta":
"Que independente disso
(...) ando e penso sempre com mais de um
Por isso ninguém vê minha sacola."

RG

Comentários