Prefeito de Ilhéus desativa Sala Nucleada do Japu, em Piaçaveira

O prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, determinou à secretaria de Educação a desativação temporária da Sala Nucleada do Japu, na localidade de Piaçaveira, zona rural de Ilhéus, e as providências para a construção de uma nova unidade escolar para atender a comunidade. A situação da escola ganhou repercussão nacional após matéria exibida no programa Fantástico, da Rede Globo, no último domingo, que enfocou detalhes da Operação Citrus, do Ministério Público, que apura casos de corrupção na Prefeitura de Ilhéus, na gestão anterior.

O prefeito estabeleceu como prioridade a extinção da estrutura precária que vem sendo utilizada pela rede municipal de ensino e determinou a construção de uma nova escola para atender aos estudantes da Piaçaveira. A suspensão das aulas ocorrerá pelo período de uma semana, até que a Secretaria de Educação defina um local para o funcionamento da escola.

Segundo informação da secretária de Educação, Eliane Oliveira, na próxima segunda-feira, dia 22, será realizada uma reunião na comunidade para tratar de medidas mais imediatas. Além disso, a secretaria de Infraestrutura, Transportes e Trânsito tomará as medidas cabíveis para a construção da nova escola, no terreno que acaba de ser doado pelo agricultor Miguel Domingos Dias.

A Escola Nucleada do Japu existe há cerca de 25 anos, sem que até hoje fosse dada uma solução à caótica situação da unidade. Atualmente, conta com o labor da professora Edilene de Jesus Almeida, que lá leciona há quatro anos, o maior período já mantido por um profissional da educação naquela localidade, que fica a 40 quilômetros da sede urbana de Ilhéus. A unidade escolar funciona em dois turnos. Pela manhã, atende a 12 alunos das 3ª, 4ª e 5ª séries do Ensino Fundamental. À tarde, 15 alunos da educação infantil e das 1ª e 2ª séries, além de um aluno especial.  

Diagnóstico – Um levantamento feito pela secretaria de Educação, na atual gestão, aponta que das 119 escolas da rede municipal de ensino, 53 estão localizadas na sede urbana do município, e o restante, na zona rural. Do total, cerca de 40 escolas necessitam de reforma e 20 precisam ser demolidas e reconstruídas. “São prédios e casas adaptadas como escolas que ficaram muitos anos sem manutenção por parte dos governos que passaram por Ilhéus”, explica Eliane Oliveira.

A situação da rede de ensino de Ilhéus já foi apresentada pelo prefeito Mário Alexandre ao governador do Estado, Rui Costa. “Sozinhos, não temos condições de arcar com as obras necessárias. Temos sim que pedir ajuda ao governo estadual e ao governo federal. O município não tem os recursos necessários para transformar essa realidade de forma imediata”, afirmou Mário. “Garantimos que descasos semelhantes que perduraram por décadas na educação em Ilhéus serão objeto da nossa dedicação diuturna, num combate incessante a essas mazelas que atingem o futuro de Ilhéus”, acrescentou o prefeito.

Comentários