Suspeito de matar estudante na Barra recebe alvará de soltura

O jovem Geovane de Santana Rocha, 22 anos, que estava em prisão preventiva por ser suspeito de matar o adolescente Claudson Alberto Silva Júnior, 15, durante um assalto, na Barra, recebeu um alvará de soltura, nesta segunda-feira (8). O crime aconteceu na Rua Tenente Pires Ferreira, quando a vítima voltava na escola, no dia 29 de março.

A defesa de Geovane alegou que houve excesso no prazo para a conclusão do Inquérito Policial - a prisão preventiva tem prazo de 30 dias. O advogado solicitou que o jovem respondesse ao processo em liberdade. A juíza Ailze Botelho Almeida Rodrigues acatou o pedido e o alvará de soltura foi expedido na segunda-feira. 

Na decisão, a juíza substituiu a prisão por medidas cautelares preventivas. Geovane terá que comparecer em juízo todos os meses a partir do dia 10 de maio para informar sobre as atividades; está proibido de deixar Salvador sem autorização da justiça; não poderá frequentar bares, boates e festas de largo; e não poderá ficar nas ruas entre às 19h e às 6h, de segunda à sexta-feira, e durante todo fim de semana. 

Procurada, a titular da 14ª Delegacia (Barra), Carmen Dolores, informou que o inquérito sobre o caso está em fase de conclusão e que Geovane está sendo investigado em outros dois crimes. Ela afirmou que vai pedir a renovação da prisão do suspeito nesta quarta-feira.

"Ontem outras duas vítima de assalto estiveram aqui na unidade e reconheceram ele como sendo o autor dos crimes. Ele está sendo investigado em pelo menos dois assaltos na região, além desse pelo qual ele foi preso. Amanhã, vou pedir para que a prisão dele seja renovada", afirmou. 

Além do crime de latrocínio (roubo seguido de morte), ele será indiciado pelo crime de corrupção de menores. Geovane estava preso no Presídio Salvador, no Complexo Penitenciário da Mata Escura.

Comentários