Funkeira, ex-mulher de contraventor, sofre tentativa de homicídio

Um homem atirou contra a funkeira Samantha Miranda e o marido, Marcelo Diotti da Mata, por volta das 7h deste sábado, na saída da festa Rooftop, no Hotel Grand Mercure, na Avenida Salvador Allende, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. Eles não ficaram feridos. Em depoimento na 16ª DP (Barra), a cantora acusou o ex-marido, Cristiano Girão - que é ex-vereador e chefe da milícia da Gardência Azul - de ter contratado um bandido para matá-la.

— Tinha acabado de tocar na festa e estava indo embora, quando vi essa cena. Fui correndo socorrer a Samantha, que caiu atrás do carro onde se protegia, mas estava tudo bem com ela. Acredito que o bandido tenha ido embora achando que tinha atingido a vítima. O marido, que se escondeu atrás do caminhão de serviços, também não sofreu com os tiros. Tive certeza de que se tratava de encomenda, quando ela me disse que o ex-marido (Cristiano Girão) é contraventor — contou o DJ Guilherme Scarletelli.

Ainda segundo o depoimento de Samantha, "um homem de casaco branco” surpreendeu o casal e atirou de uma distância de aproximadamente cinco metros. Em seguida, ele teria corrido para um Voyage preto. De acordo com a funkeira, a intenção de Girão é se vingar, depois que ela entrou com processo na Justiça pedindo pensão alimentícia para a filha. A cantora também informou que, no último dia 21, por volta das 22h, recebeu uma ligação do ex-marido que, após discussão, fez ameaça: "Nossa filha vai ficar sem pai ou mãe".

Em liberdade condicional, Girão já teve 13 passagens pela polícia por furto, crime eleitoral, corrupção, lesão corporal, ameaça e homicídio, entre outros. Samantha, que no videoclipe da música “Eu quero é farra”, no Youtube, usa o sobrenome do ex, tem três passagens na polícia por formação de quadrilha. O atual marido da funkeira, Marcelo Diotti da Matta, já foi preso por homicídio e envolvimento com máquinas caça-níqueis.

De acordo com a 16ª DP, onde foi registrada a ocorrência, uma perícia foi solicitada para o local. Policiais da unidade buscam imagens que possam ter registros do crime. O caso foi encaminhado à 42ª DP, no Recreio, que é responsável para área.

Comentários