Morte de adolescente na Rocinha teve motivação passional

A morte do adolescente Renan Neves, de 17 anos, teve motivação passional, de acordo com a Delegacia de Homicídios (DH) da capital. O acusado pelo crime, também de 17 anos, teria deferido pelo menos três golpes de faca no jovem ao desconfiar que ele estava se aproximando de sua ex-namorada. O criminoso, que não aceitava o fim do relacionamento, foi apreendido na madrugada desta quinta-feira por policiais da especializada.

Renan foi abordado quando deixava o curso pré-vestibular, na noite de quarta-feira, na passarela da Rocinha, comunidade onde morava. Após esfaquear o rapaz na região do peito, o criminoso fugiu em direção à Autoestrada Lagoa-Barra e acabou atropelado. Ferido, ele foi levado para o Hospital Miguel Couto, no Leblon, e capturado pelos agentes da DH.

A morte brutal do jovem levou uma multidão às ruas no início da noite. Dezenas de pessoas — a maioria vestida com camisa branca — caminharam pela Autoestrada Lagoa-Barra num ato de protesto e homenagem. A via chegou a ser fechada nos dois sentidos.

De acordo com uma funcionária do pré-vestibular, que preferiu não se identificar, Renan era um jovem estudioso, comunicativo e uma pessoa "boa praça". Em luto pela morte do rapaz, a instituição não vai abrir nesta sexta-feira. Renan entrou no curso em fevereiro e estava estudando para prestar vestibular para direito.

Em suas redes sociais, o Flamengo lamentou a morte do torcedor rubro-negro: "O Flamengo lamenta seu falecimento e presta condolências à família e amigos".

Comentários