Reunião entre vigilantes e patrões termina sem acordo e greve é mantida

Mais uma mesa de negociação entre vigilantes e empresários termina sem acordo nesta terça-feira, 6, e a categoria continua em greve. Durante encontro mediado pelo Ministério Público do Trabalho (MPT), o patronato ofereceu 3,63% de reajuste retroativo a fevereiro ou 5% a partir de junho. A proposta foi rejeitada pelos trabalhadores em assembleia realizada após a negociação. 

Eles, que antes pediam 7% de aumento, agora reduziram a proposta para 6,44%. Uma nova mesa de negociação está marcada para esta quarta, 7, às 14 horas, no MPT. A greve dos vigilantes afeta diversos serviços na Bahia, como atendimento bancário e nas agências do INSS. A categoria está com as atividades paradas em todo o estado da Bahia desde o dia 24 de maio.

Comentários