Rotary Itabuna Sul lança Projeto de Recuperação de Nascentes

O Rotary Clube Itabuna Sul lançou na manhã desta quinta-feira, dia 22, na Fazenda Lavoisier da Colossal, área do Bairro Nova Ferradas, o Projeto Recuperação de Nascente, contando com o apoio do Instituto Biofábrica de Cacau e da Ceplac. A ação marca a ampliação das ações sociais do clube de serviço que pretende incentivar agropecuaristas e a população como um todo ao plantio de árvores frutíferas e essências florestais da mata atlântica, principalmente na recomposição de nascentes em áreas degradas.

A presidente do Rotary Itabuna Sul, France Torres, disse que o projeto sinaliza o ingresso do clube nas ações voltados ao meio ambiente e ao saneamento básico depois de inúmeras atividades dedicadas à área social. “A partir de agora vamos estimular programas e projetos que sejam eficientes na recuperação de nascentes e de mananciais”, afirmou.

A dirigente, cujo mandado à frente do clube de Rotary se encerra na primeira semana de julho, lembou que o Sul da Bahia sofreu severa seca há um ano e meio com graves consequências para o abastecimento humano e dessedentação animal e para produção hortigranjeira e agropecuária. “No médio e longo prazos o replantio de árvores pode minimizar os efeitos da estiagem”, ressalta.

Antes de lançar o projeto, o Rotary promoveu palestra com o engenheiro florestal da Ceplac Dan Lobão sobre sistemas agrossilvipastoris. O pesquisador desenvolve o programa Sistema Mais Sustentável (SMS) que prevê a recuperação de recursos hídricos e da vegetação sob o conceito da conservação produtiva. Na área da fazenda Lavoisier da Colossal, no fundo do matadouro municipal da Afrisul, por exemplo, está em andamento um projeto silvipastoril.

O pecuarista Marcos Soares, com os sócios da Afrisul, deseja que áreas de matas replantadas se juntem à pastaria. “A recuperação de nascentes e a tecnologia é o que mais interessa, já que desejamos compartilhar o aprendizado com agropecuaristas regionais. Certamente quanto mais incentivos vierem, acredito haverá substancial melhora na nutrição animal com mais ganho no manejo do rebanho pelo produtor”, assinalou.

Nesta quinta-feira foram plantadas um uma das nascentes da propriedade 40 mudas de árvores frutíferas como Cupuaçu, Cajá, Pitanga e Abacate e essências florestais da mata atlântica, a exemplo de Ipê Amarelo, Guanandi, Jacarandá da Bahia, Sibipiruna, Terminália, Cedro e Sapucaia dentre outras cedidas pelos herbários da Ceplac e do Instituto Biofábrica de Cacau, que dispõe de mudas de outras espécies.

“A maioria das espécies arbóreas plantadas neste início do projeto tem função econômica, social, ecológica e ambiental”, justifica o técnico do Cepec Evaldo Batista, acrescentando que a iniciativa do Rotary Clube Itabuna Sul deve ser apoiada por outras instituições comunitárias e da sociedade civil. “O plantio de árvores nas nascentes e bordas de córregos, ribeirinhos e riachos tem potencial efeito na recuperação das fontes d’água”, explica.

Os rotarianos Juarez Coreia Ribeiro e Hiromi Isozaki se diziam satisfeitos com o plantio. “É um projeto importante. Como cuidador sou responsável pelas mudas que plantei aqui. Vou acompanhá-las com atenção. Creio que cada pessoa poderia assumir a tarefa de recompor a vegetação da mata atlântica, o que vai nos garantir mais água no futuro”, disse o primeiro. Já o outro, considera que é preciso esforço coletivo para a recuperação das matas e dos recursos hídricos. Todas as mudas foram georreferenciadas pelo pessoal da Ceplac.

Comentários