Criticada por Dana White, Amanda Nunes explica saída do UFC 213: ‘Sinusite crônica’

Depois de ficar de fora do UFC 213, Amanda Nunes recorreu ao Instagram para dar sua versão dos fatos. A baiana estava escalada para fazer a luta principal da noite, contra Valentina Shevchenko, valendo o cinturão dos pesos-galos, mas passou mal durante o dia e precisou ser hospitalizada.

Na rede social, a brasileira explicou: ”Eu tenho sinusite crônica, já lutei algumas vezes com isso antes, mas, dessa vez, não deu certo. Durante o processo de corte de peso, eu não conseguia respirar e ficava tonta, por causa da pressão dos seios nasais. Não estava me sentindo bem o suficiente para arriscar a levar socos na cabeça com tanta pressão. Fui levada ao hospital depois da pesagem, e eles só verificaram meu sangue e nível de desidratação, me liberando em seguida, com base nisso. No dia seguinte, voltei lá e fizeram uma tomografia computadorizada, onde descobriram um edema. Me passaram antibióticos e encaminharam à especialistas”.

Amanda seguiu: “Nunca fugi de uma luta antes. Peço desculpas aos meus fãs que vieram me ver. A luta está sendo remarcada. Eu ainda quero essa luta. Eu ainda quero essa adversária. Obrigada”.

Presidente do UFC, Dana White deu uma entrevista coletiva após o evento, criticando a baiana. “Não se pode fazer ninguém lutar.  Acho que foi 90% mental e 10% físico. (...) Esse é o tipo de situação em que um campeão se recusa a enfrentar outro, mesmo estando clinicamente apto a lutar”.

A ideia é que Amanda enfrente Valentina no UFC 215, no dia 9 de setembro, mas a luta principal está fora de cogitação. O dirigente também revelou que não pagaria a bolsa à campeã peso-galo, ao contrário da rival, que ganhou cerca de R$ 235 mil sem competir.

Derrota
No co-evento principal, o peso-pesado Alistair Overeem levou a melhor em cima do brasileiro Fabrício Werdum, no fim da trilogia entre os lutadores. O gaúcho havia ganhado a primeira luta entre eles, em 2006, mas o rival teve sua revanche em 2011. Agora, mais uma vitória para o holandês, por decisão majoritária (28-28, 29-28 e 29-28). Werdum teve chance de vencer por nocaute no terceiro round, quando deixou Overeem  grogue. Mas preferiu levar o combate para o chão.

Comentários