Líder da Katiara é preso por participar de ataque a PMs em Cajazeiras

Um dos líderes da facção criminosa Katiara foi preso pela polícia nesta quinta-feira (21), na cidade de Inhambupe, na região Nordeste do estado. Segundo a polícia, Isac Davi Bispo da Conceição, 21 anos, é apontado como um dos chefes da quadrilha e também um dos responsáveis pelo ataque a uma equipe da 3ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Cajazeiras), no bairro de Cajazeiras 11, no dia 7 de julho - quando dois policiais militares foram baleados.  

Bruno da Silva Andrade, o Bruno Galego, 19, Ubiraci Oliveira dos Santos, 25, e Jonas Silva do Nascimento, o Pola, 26, também foram presos e apresentados na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), na Pituba, por ter participação do ataque. Segundo a polícia, eles também são integrantes da Katiara.  

"Os dois policiais estavam em atividade quando foram surpreendidos a tiros pelos criminosos. Após os disparos, eles tentaram retornar para a viatura, quando foram alvejados. Os dois ajudaram a reconhecer os envolvidos, por meio de imagens de câmeras de segurança da localidade", informou o  delegado Odair Carneiro, coordenador da força-tarefa da Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), que investiga crimes ocorridos contra policiais.

Para a polícia, o ataque seria em represália a uma ação da 3ª CIPM no bairro, uma semana antes dos PMs serem atacados a tiros. Na ocasião, os policiais Lucas Alves Cerqueira e Raul Sílvio de Jesus participaram da prisão de Miguel Bispo da Conceição, irmão de Isac. 

Miguel estava à frente da quadrilha desde que o irmão, Sócrates Arquimedes Menezes da Conceição, o Alef, foi morto há dois meses, durante uma troca de tiros com PMs no bairro. Isac foi preso em uma casa onde ele estava escondido desde o crime. A polícia chegou ao acusado depois de denúncias.

"Eu estava conversando com uma senhora quando o disparo foi feito. Na hora, pediram pra eu correr e eu corri, toda a população viu", diz Isac. De acordo com ele, o disparo foi feito por um outro homem, chamado Bruno, também integrantes da facção e que não está entre os presos. Segundo a polícia, um outro envolvido conhecido como Kaká está foragido. 

Bruno Galego, Jonas e Isac já possuem passagem pela polícia por tráfico de drogas. Os três tinham mandados de prisão temporária. Já Ubiraci, tem passagem por roubo e tinha mandado de prisão preventiva. Participaram da operação policias do DHPP, Polícia Metropolitana (Depom) , Rondas Especiais Central (Rondesp) e o Batalhão de Choque. 

Os PMs feridos no ataque foram socorridos por viaturas da 3ª CIPM para o Hospital Eládio Lasserre, em Cajazeiras 2, e logo em seguida transferidos para Hospital Geral do Estado (HGE). Após o atentado, o bairro de Cajazeiras foi ocupado pela Polícia Militar.

Em nota, a PM informou que os dois policiais "permanecem afastados das atividades policiais para tratamento e recuperação dos ferimentos decorrente do atentado sofrido no último dia 07 de julho".  Também segundo a PM, eles "estão progredindo com a recuperação e atendidos por profissionais do hospital Pro Hope".

Comentários