Polícia investiga desaparecimento de bebê em Ilhéus

O mistério envolvendo o desaparecimento de um bebê está movimentando a cidade de Ilhéus, no Sul da Bahia. A história começou no dia 24 de junho, quando a jovem Cleidiane Silva dos Santos, 22 anos, procurou a Maternidade Santa Helena para dar à luz aos filhos gêmeos, mas foi informada, horas depois do parto, que havia nascido apenas uma criança.

Segundo a delegada da 7ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin/ Ilhéus), Andréa Oliveira, a mãe da criança contou que fez um exame médico cerca de 20 dias antes do parto e que o documento atestava que a gravidez era de dois meninos. 

"Ela contou que fez uma ressonância alguns dias antes do parto que afirmou a gravidez de gêmeos e contou que pouco antes do parto uma enfermeira a examinou e disse que os dois bebês estavam bem. Ela passou mal durante a cesariana e ficou algumas horas desacordada. No dia seguinte foi informada de que havia apenas uma criança", contou a delegada.

Cleidiane permaneceu dez dias internada por conta das complicações no parto, mas não acredita que tenha dado a luz a apenas um bebê, por isso, quando deixou o hospital procurou a delegacia para registrar a ocorrência. Ela e o outro bebê passam bem. A polícia está investigando o caso. 
Nesta terça-feira (11), foram emitidas intimações para os dois médicos: o que fez a ressonância e atestou a gravidez de gêmeos, e o que fez o parto. A delegada estima que eles serão ouvidos até a próxima segunda-feira (17). 

O CORREIO ainda não conseguiu contato com os representantes do hospital. À TV Bahia, o diretor técnico Carlos Lira afirmou que só uma criança nasceu. "Constou no diagnóstico pré-cesariana de gestão gemelar, qual a surpresa quando ele abre e só tinha um feto. Esse fato foi presenciado pela neonatologista, que assistiu à criança no momento do parto, confirmando que só tinha uma criança só e foi informado, segundo a pediatra, à própria paciente", afirmou.

Comentários