Preso com droga, filho de desembargadora alega insanidade e pede suspensão de ação

Preso com 129 kg de maconha, Breno Fernando Solon Borges, 37 anos, filho da presidente do Tribunal Regional Eleitoral de do Mato Grosso do Sul (TRE-MS), alegou "insanidade mental" para pedir a suspensão do seu processo à Justiça, segundo informação de O Globo. Ele conseguiu uma liminar do TJ para substituir a prisão preventiva por uma internação médica. 

A defesa informou, segundo o Jornal Nacional, que Breno sofre de "síndrome bordeline" e não pode ser responsabilizado por seus atos. A mãe assinou um termo se responsabilizando pelo filho.

Depois de cerca de três meses preso, Breno foi transferido para uma clínica na sexta-feira. Ele recebeu a ordem de soltura na terça-feira, mas um outro mandado de prisão da Polícia Federal impediu sua saída imediata. 

A PF diz que uma organização criminosa planejava novamente resgate de detentos da penitenciária de Campo Grande, incluindo aí o filho da desembargadora. Em março, o líder da organização, especializada em contrabando de armas, orquestrou uma tentativa de fuga da Penitenciária de Três Lagoas. A investigação mostrou que Breno iria ajudar na fuga. 

Ele foi preso em 8 de abril, flagrado com drogas e uma arma de fogo sem autorização. Na época, foi autuado por tráfico de drogas, associação para o tráfico e porte ilegal de arma. O caso segue em segredo de Justiça.

Comentários