Torcedor morto era conhecido como "Jacaré" e postava fotos com bandeira de organizada

O torcedor Davi Rocha Lopes, 27 anos, morador de Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, morreu neste sábado, vítima de um tiro no tórax após a derrota do Vasco para o Flamengo em São Januário, resultado que desencadeou um cenário de caos dentro e fora do estádio. As fotos e postagens no perfil de Davi em uma rede social indicam que ele fazia parte de uma torcida organizada do Vasco, o que é negado pela família.

Consultada, a assessoria da Polícia Civil, que conduz a apuração, informou por email que busca imagens de câmeras de segurança e procura determinar de onde partiu o disparo para averiguar armas de policiais.

- A DH foi acionada pelo policial do plantão do Hospital Souza Aguiar. Imediatamente mandou uma equipe para o HSA, que fez o levantamento das vítimas atingidas e iniciou as investigações. Sobre as armas dos PMs, ainda será necessário saber de onde partiram os disparos, após ouvir os envolvidos como policiais, testemunhas e as vítimas sobreviventes. Neste momento, equipes da DH tentam obter imagens de câmeras da região para auxiliar na investigação - explicou a assessoria da PCERJ.​

Como é possível perceber em comentários nos seus posts em redes sociais, Davi era conhecido por Jacaré. Também em publicações na internet demonstra grande carinho por familiares. Uma das pessoas na rede de contatos do torcedor conversou rapidamente com a reportagem e se limitou a dizer:

- Davi era um cara super show de bola, o cara mais incrível que eu já conheci.

Ela informou ainda que o torcedor estava desempregado. O seu perfil indica que trabalha ou já trabalhou para a Prefeitura do Rio de Janeiro. O link da Prefeitura no qual é feita essa menção leva para uma página não oficial na qual o primeiro post traz uma foto com os dizeres: "A violência é o último refúgio do incompetente". Mas, em post em rede social, Davi posa com um amigo e comenta: "União sinistra Jacaré e Cão de Briga quem tentar tá maluco" (sic).

Outro amigo de Davi, Fábio Galante, postou também na rede social: "Descansa em paz meu mano jacaré, pow quem vai zuar comigo no carnaval, quem vai me chamar de cachaça agora e as suas danças kkkkkk 😟meus sentimentos aos familiares..." (sic). Em contato com a reportagem, Galante disse:

- Só tenho a dizer que era um cara bom é que só vivia rindo, dançando, fazendo graça, zoando e buscando sempre fazer amizade... E foi isso aí que você viu nos comentários, mas já falaram que foi a polícia que fez os disparos.

A família do torcedor, contudo, em entrevista ao G1, negou que ele fizesse parte de torcida organizada. Foi o que afirmou o irmão dele, Carlos. Davi trabalhava como ajudante de eletricista.

- Em jogo ele ia, mas não frequentemente. Ele assistia normalmente, gostava de futebol mas não era torcedor recorrente - disse o irmão da vítima.

Comentários