Chacina com 5 mortes no Ceará foi motivada por 'vingança' contra suspeito de estupro

A chacina na cidade de Palmácia, na Grande Fortaleza, foi motivada por "vingança" de uma facção criminosa contra um grupo suspeito de estupro. As vítimas são suspeitas de estuprar uma garota com parentesco com os autores da chacina, conforme investigação da Polícia Civil.

As cinco pessoas foram assassinadas na manhã de sexta-feira (13) na comunidade de Cafundó, que fico no limite entre Palmácia e Maranguape, na Grande Fortaleza. Os corpos foram achados em um matagal, com as mãos atadas nas costas e marcas de tiro na cabeça.

Quatro pessoas foram presas suspeitas de participação na chacina. A matança ocorreu na sexta-feira (13), e as prisões ocorreram durante o fim de semana, no Bairro Bom Jardim, em Fortaleza. Dois dos quatro suspeitos foram presos durante uma operação policial no Bom Jardim, na noite de sábado (14), um dia após o crime.

Conforme Barreto, os suspeitos integram uma facção criminosa e são apontados como autores de "diversos crimes" no bairro, incluindo tráfico e homicídios.

Três vítimas são da mesma família; um pai e dois filhos. As outros mortos são moradores de Itapebussu, no interior do estado. Junto com o grupo estava uma sexta pessoa, que fugiu do local. Eles foram identificados como Francisco Antônio Pereira de Abreu, 42; José Roniele Costa Pereira; Antônio Barbosa de Sousa, conhecido como Feitosa; Paulo Sérgio dos Santos da Silva, e José Edson Ferreira dos Santos.
Chacinas no Ceará
Além de Palmácia, o Ceará registrou uma outra chacina com quatro pessoas mortas no sábado (14), na cidade de Quiterianópolis. As vítimas são dois irmãos gêmeos de 25 anos, a mãe e o tio dos jovens. Eles estavam em um curral, quando homens armados chegaram a atiraram. Os três homens morreram na hora, com diversos tiros. A mulher chegou a ser levada para a Santa Casa de Misericória de Sobral, onde ficou internada, mas não resistiu.

De acordo com a Secretaria da Segurança, os homicídios em Quiterianópolis são resultados de uma rixa entre duas famílias da região. Os gêmeos, identificados como Sesé e Gugu, foram indiciados pelas mortes de Antonio José do Nascimento (43) e Roberta Pereira do Nascimento (17), pai e filha. O duplo homicídio foi registrado no dia 12 de abril desse ano (2018). A Delegacia Regional de Tauá investiga o crime. Até agora, ninguém foi preso.

O Ceará teve ao menos sete chacinas neste ano, uma delas, a chacina no Bairro Cajazeiras, deixou 14 mortes, na maior matança já registrada no estado, conforme a Secretaria de Segurança.

Já em março, dois ataques no Bairro Benfica, na Praça da Gentilândia e na sede de uma torcida organizada do Fortaleza, resultaram na morte de sete pessoas.

Em junho, um bando armado invadiu uma casa em um sítio do MST em Quixeramobim, no interior do estado, e matou as quatro pessoas que estavam na residência.

Comentários