Jovem é preso suspeito de matar rapaz durante festa em motel por ciúmes

Um jovem de 19 anos foi preso na segunda-feira (30) suspeito de matar Jorge Luiz Brito Coimbra, de 25 anos, durante uma festa de aniversário em um motel em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital. Segundo a Polícia Civil, Gabriel Rodrigues Candini matou o rapaz porque ele deu em cima das namoradas dele e do irmão. Ao ser apresentado, o suspeito confessou o crime.

“Estou arrependido, foi sangue quente. Ele me ameaçou”, alegou o suspeito.

“A vítima teria mexido com a namorada do Gabriel, deu em cima dela. Passado algum tempo, mexeu com a namorada do irmão. Nisso, começaram a discutir. Pelo que as testemunhas disseram, o Jorge enfrentou, o ameaçou, e ele atirou”, disse o delegado responsável pelo caso, Rogério Bicalho, titular do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH).

O crime aconteceu por volta das 23h de domingo (29), no Setor Nossa Senhora de Lourdes. Cerca de 30 pessoas estavam na festa, em uma suíte anexa ao motel, que começou por volta das 16h. Entre elas, Gabriel, o irmão Arthur Rodrigues Candini, de 21 anos, e as respectivas namoradas. Outro irmão do suspeito, de 17 anos, e um amigo também estavam no evento, mas não se envolveram na confusão.

De acordo com o investigador, Gabriel usou um revólver calibre 38 para cometer o crime. Cinco tiros atingiram a vítima. Em seguida, o suspeito fugiu do motel.

Testemunhas afirmaram que os envolvidos na briga estavam bebendo e usando drogas. “Ele [suspeito] falou que tinha bebido. A namorada disse também. Pelo que a gente já investigou, o uso de drogas e bebidas estava disseminado”, afirmou o delegado.

Horas após o homicídio, na manhã de segunda-feira (30), os polícias prenderam Arthur na casa dele, pois havia um mandado em aberto por uma condenação de roubo. No entanto, como não tem envolvimentono crime, não será indiciado. Depois disso, os agentes conseguiram localizar Gabriel na GO-060.

A vítima tinha passagens pela polícia por tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo, adulteração de sinal identificador de veículo automotor, roubo e tentativa de roubo. Já o suspeito, quando era adolescente, foi apreendido por suspeita de roubo.

O delegado já ouviu quatro testemunhas. “Vamos colher o depoimento de mais testemunhas mas esclarecer se teve alguma ameaça para ter mais detalhes de como tudo ocorreu”, disse.

O motel não deve responder pelo homicídio. Gabriel vai ser indiciado por homicídio qualificado por motivo fútil.

Comentários