Acerto de contas com tráfico é principal hipótese para chacina com 6 mortos

Um acerto de contas com o tráfico de drogas é a principal hipótese investigada pela Polícia Civil para tentar esclarecer o motivo e a autoria da chacina que deixou seis pessoas mortas e outras duas baleadas e feridas na madrugada de quinta-feira (1º) em bares da Vila São João, periferia de Guarulhos, na Grande São Paulo.
Policiais civis ouvidos pelo G1 disseram nesta sexta-feira (2) que há indícios de que a região onde ocorreu o crime é conhecida pelo comércio e consumo de entorpecentes. Além disso, a maioria das oito vítimas era usuária de drogas, sendo que três delas tinham antecedentes criminais.

A investigação apura se traficantes teriam cometido a chacina por alguma divergência envolvendo a venda da droga. Alguns dos mortos seriam desafetos da facção criminosa que controla o tráfico no bairro. Eles estariam comercializando entorpecentes sem a autorização da quadrilha.

Todas as informações, no entanto, ainda não estão confirmadas e continuam sendo investigadas pelos policiais. Apuram o caso o 7º Distrito Policial (DP) e o Setor de Homicídios da Delegacia Seccional de Guarulhos.

Apesar disso, testemunhas ouvidas pelo G1 disseram que suspeitam da possibilidade de policiais militares terem cometido o crime. Sob a condição de anonimato, um sobrevivente da chacina contou ter visto uma viatura da Polícia Militar (PM) passar pelos bares momentos antes e depois da matança. Ele disse ter ouvido mais de 30 tiros disparados por pessoas mascaradas que fariam parte de um grupo de extermínio formado por PMs à paisana.

Comentários