Homem mata a ex-mulher na frente da filha de 6 anos por suspeita de traição

Agentes da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) prenderam em flagrante, na noite da última sexta-feira, Rodrigo Luiz de Oliveira Santos Avelino, de 29 anos. De acordo com o delegado Willians Batista, ele confessou ter assassinado a tiros, no mesmo dia, a ex-esposa Natália Sacramento da Silva, de 30 anos. O crime aconteceu no bairro Nossa Senhora de Fátima, em Queimados, na Baixada Fluminense.

Natália, que era cabeleireira, estava atendendo a uma cliente numa casa próxima à que os dois haviam dividido, na Rua São Silvestre. Eles moraram juntos por cerca de dez anos, cinco oficialmente como casados, mas se separaram alguns meses antes do crime. Já Rodrigo trabalha em uma empresa de instalação telefônica e, ainda segundo os investigadores, ligou para a ex-mulher do telefone de uma das filhas do casal logo após chegar do serviço, no fim da tarde da última sexta-feira. Ele alegou que queria ver a outra filha, de 6 anos, que acompanhava a mãe.
Por volta das 17h40m, Natália deixou a residência da ex-vizinha com a criança, como mostram imagens de câmeras de segurança. O vídeo traz a mulher atravessando a rua para iniciar uma conversa com Rodrigo, que duraria poucos minutos. O instalador sacou então uma arma e atirou uma primeira vez na cabeça da ex-companheira, que caiu no chão junto com a filha. Em seguida, ele puxou a menina com um dos braços e, ainda na presença da criança, com a outra mão voltou a disparar em direção a Natália, conforme o relatado pela DHBF.

Rodrigo voltou pra casa, onde acabaria preso pouco depois, e chegou a fazer postagens em uma rede social anunciando que havia assassinado a esposa devido à suposta infidelidade. Aos policiais, ele contou que, no diálogo, cobrou Natália sobre supostas traições ocorridas no passado. De acordo com ele, a mulher respondeu que a separação era definitiva e que os dois deveriam dar entrada na papelada do divórcio. Segundo a polícia, o atirador possuía um histórico de agressões e ameaças contra a vítima.

Comentários