Retorno de Josias e Torres à Câmara favorece Temer em votação

Fica cada vez mais claro que o retorno de Josias Gomes (PT) e Fernando Torres (PSD) ao mandato na Câmara dos Deputados para votação da denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB) por corrupção passiva é para beneficiar o peemedebista. Com o retorno dos secretários de Relações Institucionais e de Desenvolvimento Urbano (Sedur), respectivamente, há fortes indícios de que ambos votarão a favor de Temer.

Davidson Magalhães (PCdoB) não participou da reunião com o governador da Bahia, Rui Costa, na noite desta segunda-feira (31). Rui conversou com a bancada federal, senadores e secretários para articular a votação. Já Robinson Almeida (PT) disse não ter ficado até o final e não soube dos encaminhamentos dados.

O que se comenta nos bastidores é que não se teria outra razão em trocar os dois deputados, que já haviam declarado votos pelo prosseguimento da denúncia contra Temer, se não a de que os dois titulares votarão pelo arquivamento da denúncia. Mas o voto só será manifestado em plenário nesta quarta-feira (2).

Davidson Magalhães afirmou ao BNews de que só foi informado que não participaria da votação na noite de ontem. Robinson Almeida afirmou que foi avisado po Torres que "gostaria de votar a denúncia". No entanto, não sabe como será o voto do pessedista. Torres afirmou ao BNews que iria se abster.

A tática do governador baiano pode ser elucidada como uma forma de evitar que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), amigo íntimo do prefeito ACM Neto (DEM), ocupe a cadeira da presidência. Com isso, Neto seria o mais beneficiado deslanchando pelo interior e aumentando sua possibilidade de vencer as eleições em 2018.

Comentários