Vendedora é presa por morte de namorado na Santa Cruz e diz que agiu para se defender

A vendedora Naiara França Ramos, 25 anos, foi presa nesta quarta-feira (2) em Cajazeiras suspeita de ter matado o namorado, Emerson Ramos da Silva, 21. O crime aconteceu em 8 de julho no bairro da Santa Cruz.

A delegada Marta Karine, da 1ª Delegacia de Homicídios, disse que Naiara confessou o crime, mas alegou ter agido em legítima defesa. Ela contou que os dois estavam em uma festa juntos e saíram por volta das 4 da madrugada, quando começaram a discutir. "Uma pessoa se aproximou deles e proferiu ofensas a Naiara. Como Emerson não a defendeu, deu-se início a uma discussão", conta. 

Emerson quebrou a garrafa de licor que levava na mão e usou os cacos para ameaçar Naiara, segundo depoimento dela. Ela contou que pegou um dos cacos no chão e usou para se defender. Ela acertou Emerson no tórax e no braço. A vendedora conta que familiares apartaram a briga e levaram Emerson para o Hospital Geral do Estado (HGE) ainda consciente.

A vendedora relatou que chegou a visitar o namorado no HGE, por volta das 13h, mas ele passava por cirurgia. Ela então disse que ao voltar para casa recebeu um telefonema informando da morte de Emerson e dizendo que ela estava jurada de morte por traficantes da Santa Cruz.

Afirmando temer por sua vida, Naiara se escondeu com parentes em Cajazeiras, onde foi presa.

Problemas
Na época do crime, parentes de Emerson contaram ao CORREIO que Naiara não era bem vinda na família e que o casal vivia brigando. “Ninguém gosta dela lá em casa. A gente sempre dizia para ele largar essa mulher, ela prejudicava muito a vida dele. Era briga o tempo inteiro, e não só de confusão e discussão, eles entravam em combate físico, algo que sempre nos preocupou”, contou Nayara Ramos, irmã de Emerson. Nayara ressaltou que o casal já morou junto durante um tempo, mas desistiu da ideia por conta dos conflitos constantes. Emerson e a namorada ficaram separados por quase dois meses, mas reataram o relacionamento no início deste ano. Além disso, a família destacou que não é a primeira vez que ela tentou atacar o namorado com faca e que a garota já chegou a invadir o quarto do jovem por achar que ele estava dormindo com outra mulher.

Durante a liberação do corpo no Instituto Médico Legal (IML), os tios de Emerson aparentavam estar bastante abatidos e preferiram não falar. Já sua irmã, que acompanhou o caso mais de perto, fez questão de expressar sua revolta com o caso. “Ele era uma pessoa muito conhecida lá na Santa Cruz, se dava bem com todo mundo, o problema era só com a namorada mesmo. Acho um absurdo ela ter deixado ele lá sangrando, gritando por ajuda”, sinalizou.

Nayara revelou que ficou sabendo do ocorrido através de um boato na vizinhança de que algo havia acontecido com seu irmão. De acordo com ela, as pessoas comentavam mas nenhum morador tinha visto nada, até que ela decidiu ir até o HGE, onde foi informada de que o irmão tinha morrido quando estava na sala de cirurgia, por conta da grande perda de sangue. 

Comentários