Bahia deve entrar com representação contra arbitragem do jogo com o Vasco e evita falar sobre Elton

O torcedor do Bahia segue preocupado com o time, diante do desempenho nas últimas partidas, mas outro fator o deixou muito chateado no último jogo do Esquadrão, a arbitragem. Na partida onde o Tricolor perdeu para o Vasco por 2 a 0, na última segunda-feira (16), em São Januário, o árbitro Rafael Traci comandou a partida e protagonizou diversas decisões polêmicas que desagradaram aos dois lados.

Se os atletas e alguns membros da comissão técnica do Vasco foram até o trio de arbitragem protestar ao fim do jogo, do lado do Bahia, a tendência é que haja mais manifestações. De acordo com informações publicadas pelo site GloboEsporte.com, a Diretoria do Esquadrão está preparando um material com o objetivo de entrar com uma representação contra a arbitragem que comandou a partida.

Apesar de ter se classificado para as quartas de final da competição nacional, a cúpula tricolor entende que as marcações equivocadas do árbitro não podem passar em branco. As principais reclamações são contra o pênalti marcado para o Vasco que resultou no gol de Yago Pikachu; um impedimento mal assinalado de Edigar Junio e uma falta sofrida pelo mesmo que não foi marcada, em duas situações em que o atacante sairia cara a cara com o goleiro, além da expulsão do lateral-esquerdo Léo, que sequer tocou no adversário no lance marcado.

Já sobre a outra polêmica da partida, o Bahia não deve se posicionar. Após o apito final do árbitro foi registrada muita confusão, e nisso o volante Elton, do time baiano, foi acusado de cuspir em um dirigente carioca. O jogador chegou a falar sobre o ocorrido antes de deixar São Januário.

“Eles falaram o que falaram para mim? “Jogadorzinho medíocre, jogadorzinho pequeno”. Então vê lá o que eles falaram. “Jogador de time pequeno”. Está chamando o Bahia de time pequeno? Eles têm que ter respeito. Eu estava mexendo com a torcida. Ele tomou a dor? É diretor, tomou a dor, mas também não pode falar aquilo que falou para mim. Eu dei uma cusparada, mas não bateu neles, não”, afirmou.

Contudo, sobre essa situação, ao ser procurado pela reportagem, o Esporte Clube Bahia preferiu não se pronunciar sobre uma possível punição ao jogador.

Comentários