Serial killer é condenado a 21 anos de prisão por morte de jovem em farmácia de Goiânia

O vigilante Tiago Henrique Gomes da Rocha, de 30 anos, conhecido como serial killer, foi condenado nesta segunda-feira (9) a 21 anos de prisão pela morte da jovem Wanessa Oliveira Felipe, de 22 anos, dentro de uma farmácia de Goiânia. Essa é a 29ª condenação dele por homicídio. Somadas, as penas ultrapassam 600 anos. Ainda cabe recurso.

A jovem foi morta no dia 23 de abril de 2014. Ela tinha acabado de sair da academia e passou em uma farmácia. Tiago chegou de moto, entrou e, ainda de capacete, se aproximou da vítima e atirou nas costas dela.

Os jurados reconheceram que o crime foi qualificado, com recurso que dificultou a defesa da vítima. Durante o processo, Tiago confessou o crime à polícia e um laudo comprovou que a bala que atingiu a vítima saiu da arma apreendida com ele.

O G1 tentou contato por telefone as 13h com o promotor Maurício Gonçalves de Camargos e o defensor público Jaime Rosa Borges Júnior para saber se eles vão recorrer da sentença.
Se estivesse viva, Wanessa completaria 27 anos no domingo (8). Triste e traumatizada, a mãe de Wanessa, Sandra Oliveira Soares Felipe, disse que ainda mantém o quarto da filha intacto e fez questão de afirmar que não perdoa Tiago.

"Não o perdoo. Perdão é para quem se arrepende e ele não mostrou estar arrependido de nenhum dos crimes que cometeu. Minha vida está péssima. O sentimento e a dor são os mesmos. A saudade só aumenta. Ontem [8] foi aniversário dela e eu fui ao cemitério levar flores", desabafou.

Tiago Henrique está preso desde outubro de 2014 no Núcleo de Custódia, em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital. Na cadeia, ele escreveu um livro sobre os crimes já cometidos e sua conversão espiritual.

Comentários